Agricultura 4.0 - Sustentabilidade do Agronegócio e a produção de alimentos

Estamos chegando ao final de mais uma safra, e novamente o setor irá bater recordes de produção e produtividade, tanto na cultura da soja quanto do milho. No Brasil, a produção agrícola é uma das principais atividades econômicas, contribuindo positivamente para o crescimento do produto interno bruto (PIB) além de contribuir grandemente com a alimentação humana. A demanda cada vez maior de alimentos frente ao acelerado crescimento populacional exigirá à necessidade de sistemas produtivos sustentáveis remetendo a soluções que favorecem o equilíbrio ambiental, sustentável e econômico da atividade agrícola. A Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) prevê que a indústria agrícola vai precisar produzir uma quantidade de alimentos 70% maior, porém o solo adequado e disponível para o cultivo terá incremento de apenas 5%. Isso significa ter, a mais por ano, aproximadamente, 1 bilhão de toneladas de trigo, arroz e outros cereais, e 200 milhões de toneladas de carne bovina, tudo sendo produzido, praticamente, na mesma área de terra.

Aumentar a produtividade das principais culturas cultivadas baseando-se na sustentabilidade dos sistemas agrícolas é o principal desafio da agricultura nacional, pois se relaciona com importantes temas agronômicos referentes à fertilidade, manejo, conservação, correção e fertilização do solo, agricultura de precisão, dentre outros.

Com base nesse contexto, a agricultura digital é uma excelente ferramenta para os profissionais que atuam neste setor tomarem decisões baseadas em dados mais precisos, visando o aumento da produtividade com ênfase sobre a fertilidade dos solos e do estado nutricional das culturas, bem como o correto manejo dos diferentes tipos de solos em função do ambiente de produção. Além disso, busca fomentar a utilização dos principais recursos tecnológicos disponíveis no mercado, através do incremento da Agricultura 4.0.

Por muito tempo, os agricultores cultivaram suas safras na base da “tentativa e erro”, adquirindo assim um conhecimento básico sobre as condições climáticas e de solo. A partir da introdução da agricultura de precisão foi permitido aos agricultores um gerenciamento de informações, baseado na variabilidade do solo e do clima, levando a um aumento significativo de produtividade e também à redução de custos.

Uma série de novas tecnologias foram introduzidas para analisar melhor tanto a acidez do solo quanto o seu nível de nutrientes, assim como o rendimento das safras ao longo do tempo e as variações climáticas no campo. Desde tratores com GPS, drones com sensores multiespectrais até equipamentos conectados entre si pela Internet das Coisas (IoT) monitorando safras individuais. Os produtores agora têm acesso a uma enorme quantidade de informações que ajudam na tomada de decisão com um maior embasamento.

A água, a luz, os nutrientes, as pragas, as doenças, etc são fatores responsáveis pela produtividade de uma propriedade agrícola. A fertilidade, representada pela disponibilidade de nutrientes e equilíbrio entre os mesmos, é apenas um entre os vários fatores, porém tem uma enorme importância. Conhecer a variabilidade dos atributos do solo é ferramenta importante no contexto da agricultura de precisão. A dinâmica dos nutrientes do solo está associada ao conhecimento básico de rochas e minerais, da gênese, da física, da biologia, da química e da fertilidade do solo. Os colóides do solo têm influência na produção agrícola. Devido à atração eletromagnética, atuam na retenção dos nutrientes, originando conceitos como soma de bases trocáveis (valor S), capacidade de troca catiônica (valor T ou CTC) e porcentagem de saturação de bases (valor V%). Os nutrientes disponíveis para as plantas estão nas formas solúveis na solução do solo, e grande parte deles estão adsorvidos aos colóides, na fase mineral ou orgânica como elemento lentamente disponível. Para a diagnose da fertilidade de um solo é necessário conhecer a disponibilidade de macro e micronutrientes, saber quem são os cátions e os ânions, a relação entre os nutrientes e as condições de acidez do meio. A estas informações deve-se associar o conhecimento das fontes de nutrientes, das características e necessidades das plantas, da experiência de solos e plantas para então poder recomendar uma calagem ou adubação, procurando obter o máximo rendimento econômico.

Para obter esses dados e tomar decisões assertivas, a grande maioria dos agricultores aproveita o intervalo entre a colheita da safra de verão e o plantio da safra de inverno para realizar a amostragem de solo georreferenciada e posteriormente a aplicação de insumos a taxa variável (fertilizantes, calcário, gesso) por ponto georreferenciado ou zona de manejo, com o propósito de equilibrar a fertilidade e deixar o solo o mais próximo do ideal para receber a cultura de inverno e em seguida a de verão. Portanto, a revolução digital na agricultura está sendo fundamental para o aumento da vida útil dos solos, das tecnologias, da sustentabilidade, da mitigação da fome e contribuindo para a contínua prosperidade do agronegócio.

Gostou? Tem alguma dúvida? Escreva pra gente!

WhatsApp bit.ly/dronagro

(55) 9 9682 8530 ou (49) 9 9161 0402

dronagro.adm@gmail.com