Agricultura digital: solução para uma agricultura mais eficiente e produtiva?

Olá amigos do agro digital! O setor do agronegócio mundial vive uma era de grandes desafios, garantir que a produção de alimentos consiga atender a demanda da crescente população, que em 2050 irá atingir 9 bilhões de pessoas. Isto exige ir além, é preciso unir agentes envolvidos em toda a cadeia de valor do agronegócio para que a transformação digital e inovações possam ser efetivas na busca pela melhoria da eficiência da produção e de um modo mais sustentável.

Estamos sendo impulsionados a pensar em estratégias de produção com caráter cada vez mais sustentável, fica estabelecido que a produção agrícola precisa aumentar, paralela com a produtividade, mas sem que para isso haja um aumento na área plantada. As novas tecnologias surgiram, e estão sendo inseridas pouco a pouco no campo, com o objetivo de atender a estas preocupações e maximizar o uso dos recursos disponíveis. Os maiores eventos de tecnologia para o agronegócio do país há tempos buscam por empresas que tenham no seu DNA a inovação como foco.

A agricultura digital mostra desempenho amplificado na análise integrada de uso de insumos com a variabilidade do solo e água, máquinas e equipamentos conectados têm atividades gerenciadas por meio de sistemas de telemetria otimizando seu uso, imagens de satélite e de VANTs, GPS, georreferenciamento e mapas de produtividade são termos cada vez mais frequentes no vocabulário dos produtores rurais. Esses instrumentos apoiam o planejamento do uso e ocupação da terra por práticas agrícolas mais resilientes.

Novos aplicativos, disponíveis para tablets e smartphones, são um suporte na tomada de decisão sobre inúmeras práticas envolvendo a produção animal e vegetal. Ajudam a compreender as condições meteorológicas, como secas e inundações, colaborando preventivamente na manutenção da qualidade do solo, água e ar, permitem identificar, monitorar e reduzir a incidência de pragas e doenças. São imprescindíveis no gerenciamento de sofisticados sistemas de irrigação, minimizando desperdícios, auxiliam o gerenciamento técnico-financeiro de propriedades e se tornam fundamentais para a sustentabilidade do agronegócio.

Os desafios neste setor estão em conferir maior dinamismo e integração entre a pesquisa, ensino, indústria, comércio, assistência técnica e extensão rural brasileira. Aproveitar o mundo rural mais conectado e fortalecer o processo de educação a distância (EAD) no campo, atrair mais jovens, capacitar produtores rurais e profissionais para gerarem soluções cada vez mais interdisciplinares no dia a dia nas propriedades rurais elevando a produtividade e com menor pressão nos recursos naturais.

Essa transformação possui uma velocidade exponencial, com maior amplitude na economia, governo e pessoas, tendo impactos cada vez mais sistêmicos nos indivíduos e na sociedade. A integração entre o conhecimento rural tradicional e o tecnológico inovador é fundamental para fortalecer ainda mais o desenvolvimento da agricultura. Estudo recente da Embrapa destaca que, nesse paradigma, os negócios convencionais se desenvolverão sob a ótica do mercado digital, no qual o relacionamento entre consumidores e clientes será fortalecido por meio dos ecossistemas empresariais, do uso intensivo da automação e da convergência das TICs na agricultura.

Essas condições têm impulsionado a demanda por atividades cada vez mais complexas na agricultura. O uso da tecnologia digital no dia a dia das propriedades rurais não é questão de opção, mas um caminho obrigatório para tornar a agricultura mais competitiva e com maior agregação de valor. Com a transformação digital na agricultura, o mundo rural é repleto de novas oportunidades para trabalhar, produzir e viver com qualidade. É necessário fortalecer ainda mais a geração de conhecimentos, tecnologias e inovações a serviço do desenvolvimento sustentável da agricultura brasileira.

O grande desafio para que a tecnologia tenha maior efetividade e utilização começa em como totalizar o acesso à internet no campo. Embora os avanços na ciência e na tecnologia tenham sido tamanhos, ao ponto de estarmos falando em uma Agricultura Digital, é do nosso conhecimento que muitas localidades ainda dispõem de uma conectividade precária e de serviços de telefonia problemáticos. A uniformidade dos processos e, consequentemente da produção, só será possível se quatro principais fatores estiverem integrados: tecnologia -> acesso -> homem e capacitação.

Gostou? Tem alguma dúvida? Fale com a gente!

WhatsApp bit.ly/dronagro

(55) 9 9682 8530 (Eng. Agr. Guilherme Busanello)

(55) 9 9661 0402 (Eng. Agr. Diego Berté)

contato@dronagro.com.br