Boas práticas de voo

Olá a todos os amigos da agricultura 4.0!

Não é mais segredo para ninguém que o uso de drones para fins profissionais já é uma realidade na agricultura nacional. A possibilidade de gerar dados com rapidez e qualidade superior faz com que essa tecnologia seja adotada por mais e mais pessoas a cada dia que passa. Mas, para que possamos gerar produtos com qualidade, devemos nos atentar a alguns detalhes que vamos abordar no post de hoje no blog da Dronagro. Boa leitura a todos!

Antes de iniciarmos, devemos observar questões relacionadas ao tempo, legislação nacional, equipamentos necessários e sensores embarcados, plano e janela de voo. Vamos abordar cada um deles a seguir!

Tempo: antes de sair para executar o voo, verifique se o tempo não está sujeito a intempéries que possam atrapalhar nosso voo. Existem diversos sites e aplicativos que nos mostram a previsão do tempo para o local do voo. A Dronagro recomenda o site windy.com e os aplicativos AccuWeather, YR e WindGuru. Todos eles podem ser utilizados de forma gratuita. Além disso, os aplicativos estão disponíveis para Android e iOS. Condições de vento forte e rajadas podem provocar alterações na trajetória do drone e acarretam em imagens arrastadas, que prejudicam o processamento de imagem e consequentemente nossa ortofoto e produto final. Além disso, danos físicos ao equipamento não estão descartados em condições adversas de voo.

Legislação nacional: existem três órgãos que regulamentam voos com drones no Brasil. ANATEL, ANAC e DECEA. Para voos até 120 m de altura com equipamentos com mais de 250 gramas (condições correspondentes a maioria dos voos), são necessários: certidão de cadastro no SISANT, manual de voo, documentação de avaliação de riscos, apólice de seguro contra danos a terceiros, homologação do equipamento na ANATEL e autorização de voo no SARPAS. É importante salientar que as penalidades previstas em lei são multa, apreensão do equipamento, cassação de licenças, processo e prisão do operador. Opere legalmente sempre.

Equipamentos necessários e sensores embarcados: fazer um checklist dos equipamentos necessários para o voo é uma forma de evitar surpresas desagradáveis no campo e aumentar nossa produtividade na execução do projeto. Inicialmente, verifique a carga das baterias do drone e do rádio controle, e caso necessário, efetue a recarga dos mesmos. É importante que todas as baterias estejam completamente recarregadas, caso haja necessidade de sobrevoar uma área maior que a planejada ou até mesmo repetir o voo. Verifique também se todos os documentos necessários para voar estejam em sua posse, para evitar problemas legislativos e punições desnecessárias. Também, verifique se o cartão de memória está na aeronave ou na câmera e se está funcionando corretamente. Caso haja necessidade de embarcar outros sensores, verifique se as ligações estão corretas, faça a calibração (no caso de câmeras multiespectrais), e faça um teste para verificar o funcionamento do equipamento.

Plano e janela de voo: caso o voo seja programado, verifique se o plano de voo está disponível no app antes de ir a campo. Planeje a decolagem e o pouso do seu equipamento em local adequado, sem a presença de obstáculos, respeitando as áreas de segurança como aeroportos, construções, antenas, etc.

A aerofotogametria funciona melhor, com condições homogêneas de luminosidade, evite voar em dias com nebulosidade esparsa (nuvens baixas que podem causar sombra na sua área de interesse). O seu resultado também será afetado por sombras, dessa maneira voe sempre quando as sombras estão menores, o melhor horário é entre as 10h-14h.

Gostou? Tem alguma dúvida? Escreva pra gente!

WhatsApp bit.ly/dronagro

(55) 9 9682 8530

dronagro.adm@gmail.com